Bandas

 

Inscrições encerradas! Aguardem novidades!

As bandas confirmadas até o momento são:

Necro (Maceio - AL)

A Necro é uma banda que está na ativa desde 2009, formada em Maceió por Lillian Lessa, Thiago Alef e Pedro Salvador. Em 2012 lança seu primeiro álbum, "The Queen of Death", que ganhou prensagem em LP pelo selo norte-americano Hydro-Phonic Records. Em 2014 a mesma Hydro-Phonic lança o segundo disco, "Necro", também lançado através do selo paulistano Baratos Afins.

Agora em 2016 a Necro chega renovada ao terceiro álbum, chamado "Adiante". Gravado em sua maior parte ao vivo no estúdio Superfuzz (RJ) em novembro de 2015, o disco traz 7 músicas que trilham os caminhos da psicodelia, do rock progressivo brasileiro e do hard rock setentista. Totalmente cantado em português, "Adiante" revela uma Necro que foge de clichês e lugares comuns do "rock pesado", experimentando sem medo todas as nuances poéticas e musicais propostas pelas canções.

"Adiante" foi lançado nas plataformas virtuais no dia 19 de dezembro, através do selo Abraxas, e já foi muito bem recebido e aclamado pela crítica, sendo referenciado, inclusive, como um dos melhores lançamentos do ano por diversas mídias especializadas.


Mais informações: www.facebook.com/necro.al

 
     

Augustine Azul (João Pessoa - PB)

A Augustine Azul é uma banda natural de João Pessoa, Paraíba, que está inserida no cenário instrumental brasileiro desde dezembro de 2014, fundamentando-se no rock progressivo e flertando com diversas outras influências, que passam desde o blues, stoner, jazz, funk, etc. Power trio com sonoridade densa, muito fuzz presente, aliando peso e precisão, unindo a agressividade do rock com psicodelia.

Com um EP lançado em Julho de 2015, a banda circulou pelo nordeste e sudeste na turnê de divulgação. O EP atingiu não só o público nacional, mas também penetrou no cenário internacional, amplamente bem recebido e considerado, pelo blog especializado, More Fuzz (França), como melhor lançamento do ano de 2015. Além da França, o EP ecoou em Portugal, Alemanha, Polônia, Estados Unidos e México.

O primeiro álbum foi gravado no primeiro semestre de 2016 e lançado em Agosto pelo selo More Fuzz Records a partir de uma parceria formada pelo sucesso do EP. O álbum conta com distribuição virtual, CDs e brevemente vinil.

 

Mais informações: www.facebook.com/AugustineAzul

 
     

Psilocibina (Rio de Janeiro - RJ)

Psilocibina é um trio jam band influenciado pela psicodelia no rock, no jazz e nos ritmos étnicos. Numa busca autoral e sem fórmulas pela desconstrução do som criamos uma jornada sonora pesada e espacial com muito fuzz, linhas de baixo hipnóticas e ritmos carregados de energia. O aspecto improvisacional da banda torna cada show único e valoriza a experiência do momento de cada apresentação.

 

Mais informações: www.facebook.com/psilocibinamusic

 
     

Aura (Rio de Janeiro - RJ)

Quarteto que busca a experiência dos sons liscégicos sessenta e setentistas, de diversos lugares e vertentes na forma instrumental. A partir de improvisos longos e das misturas são feitas as músicas, buscando timbres tanto clássicos quanto exóticos, passando por elementos do psicodélico, clássico, progressivo, kraut, entres outros. O som denso é o pulso das composições e as melodias dão a profundidade e peso para os riffs, com bastante eco e reverberação...

Reformada no final de 2016, a banda vem compondo novas músicas e preparando novas texturas baseadas em artistas como Módulo 1000, G.Harrison, Zappa, Santana em sua primeira fase, Bixo da Seda, Mutantes, sem deixar de lado artistas contemporâneos de várias partes do mundo, principalmente aqui do Brasil.

Mais informações: www.facebook.com/auratrydan

 
     

Pacto Livre (Belo Horizonte - MG)

A Pacto Livre foi criada em meados de 2006, desenvolvendo rock alternativo com letras em português e influências de rock n roll e blues dos anos 60,70 e o grunge dos anos 90. A banda é formada por Fred Chamone (Voz e Guitarra), Gabriel de Souza (Contra-Baixo) e Henrique Moraes (Bateria), no clássico formato “Power Trio”. Em 2007 lançaram seu primeiro disco chamado “27”, uma produção feita em estúdio caseiro. A liberdade de criação, a despretensão mercadológica, e a alquimia musical foram características da Pacto Livre no tempo de sua existência. Tocaram em diversas casas undergrounds de BH, e em diversas cidades mineiras ao longo de 4 anos de estrada. Gravaram um DVD independente (2008) no Teatro Manoel Franzen (Nova Lima/MG).

A banda teve diversas formações, entre elas, Vitor Freitas no contrabaixo (2010). Se apresentaram duas vezes no Festival de Camping Rock “Aldeia Rock Fest” em Casimiro de Abreu (RJ). A banda se afastou dos palcos, em 2010, e em 2011 se reuniu com nova formação, (marco Aurélio no contrabaixo), e (Marcelo Alvares na bateria) para gravar seu último EP com a produção musical de Augusto Nogueira (Indireto) e fizeram show de lançamento em 2012 em BH. De la pra cá, a banda fez um revival em 2013 tocando em Capelinha (MG) e se apresenta eventualmente com formação inusitada, tocando releituras psicodélicas de rock n roll em cidades eco-turisticas como São Thome Das letras e Milho Verde (MG).

Mais informações: www.facebook.com/pactolivre

 
     

Lunares (Rio de Janeiro - RJ)

Trio de acid rock psicodélico instrumental com influências de blues, jazz e funk.

Mais informações: www.facebook.com/oslunares

 

Blues Etílicos (Rio de Janeiro - RJ)

Blues Etílicos é a marca mais forte do blues nacional e a banda há mais tempo em atividade nesse segmento. Desde meados dos anos 80, a banda formada por Flávio Guimarães, Greg Wilson, Otávio Rocha, Pedro Strasser e Cláudio Bedran vem produzindo uma extensa obra autoral, além de gravar homenagens às suas principais influências, tendo lançado doze CDs e um DVD.

Em 2015, a banda comemora 30 anos de carreira com o lançamento do seu novo CD. Gravado ao vivo no Teatro do Sesc Santo Amaro, em São Paulo, o álbum tem doze músicas. A banda resgata Safra 63, música de seu primeiro LP lançado em 1987. Canções autorais de diferentes álbuns como Tiro de Largada e Puro Malte se somam às inéditas Let it Rain e Solidão dos Bois.

Se o blues hoje no Brasil é um mercado consolidado com inúmeros festivais que recebem a cada ano atrações nacionais e internacionais, muito se deve ao Blues Etílicos. Em meados dos anos 80, era praticamente uma excentricidade se pensar em montar uma banda profissional de blues no país. Graças ao trabalho contínuo e consistente do grupo, toda uma geração de músicos e produtores de shows se interessou por esse estilo musical, formando um público fiel e numeroso.

Ainda assim, pode-se dizer que a música do Blues Etílicos não se limita a nenhum rótulo específico. A densidade do blues, a energia do rock e o balanço da música brasileira são os três elementos básicos que regem seu som. É música para ouvir, dançar, festejar e viajar. A guitarra slide de Otávio Rocha e a gaita de Flávio Guimarães remetem diretamente ao blues, seja pontuando ou através de solos eletrizantes. O baixo de Cláudio Bedran e a bateria de Pedro Strasser garantem o groove sólido com muito suingue. O vocalista e guitarrista Greg Wilson comanda com segurança e estilo próprio.

O Blues Etílicos tem o dom de agradar os mais diversos públicos. Esses 30 anos de estrada foram maturando cada vez mais essa que é a mais criativa e popular das bandas brasileiras nesse segmento.

Mais informações: www.bluesetilicos.com.br

 
     

Skrotes (Florianopolis - SC)

O som dos Skrotes nasceu em 2009, em Florianópolis, a partir da diversidade da formação musical dos seus integrantes. Chico Abreu, Guilherme Ledoux e Igor De Patta transitam entre a música clássica, o jazz, o samba, a música brasileira, o punk rock, o metal e a música eletrônica de forma tão natural que as diferenças entre estilos se diluem e variados ritmos soam como uma coisa só. Uma música baseada na liberdade, desconstrução e transgressão das estéticas musicais.

Durante seis anos de atividades lançaram 4 registros de forma independente e fizeram mais de 180 shows por Santa Catarina e outros estados brasileiros. Entre estes shows, destacam-se a participação nas 4 edições da Maratona Cultural de Florianópolis (2011-2014), Virada Cultural de São Paulo (2016), Festival Psicodália (2013, 2015 e 2016), Produto Instrumental Brasileiro - PIB (2015), Festival El Mapa de Todos (2014), Festival Natal Instrumental e Virada Cultural de Natal (2014), Festival Floripa Instrumental (2013), Jurerê Jazz (2014), Goiânia Noise Festival (2012), além de se apresentarem por outros festivais, teatros, casas noturnas e centros culturais nos estados de SC, RS, SP, PR, RN e RJ. Em Junho/Julho de 2015, a banda foi selecionada para o Circuito Sesc de Música que passou por 25 cidades contemplando todas as regiões de Santa Catarina. Ainda em 2015, os Skrotes foram selecionados para se apresentar no Projeto Prata da Casa no SESC Pompéia, curado por Carlos Eduardo Miranda e também no programa de web Estúdio Showlivre, ambos em São Paulo/SP. Em maio de 2016 à convite do MIS-SC, a banda compôs e apresentou para o projeto Cinema ao Vivo, a triha sonora para o filme alemão Nosferatu, de 1922, do diretor Fiedrich Wilhelm Murnau, foram 3 sessões com lotação máxima no cinema do CIC em Florianópolis que vai sair em circulação no segundo semestre de 2017.

O álbum “Nessun Dorma”, lançado em janeiro de 2014, em referência à ópera homônima de Puccini, foi viabilizado através de uma campanha de crowdfunding que contou com o apoio de mais de 300 colaboradores (amigos e fãs). Nessun Dorma, entrou na lista de melhores discos da música brasileira em 2014 pela publicação virtual “O Embrulhador” na vigésima segunda posição em uma lista de 100 discos que contava com vários artistas reconhecidos e valorizados nacionalmente como Tom Zé, Criolo, Mombojó, Nação Zumbi, Andre Mehmari, Zeca Baleiro entre outros.

Os SKROTES preparam seu próximo disco, Tropical Mojo, que já está gravado e agora em fase de pós-produção. Dois sinlges serão divulgados como uma prévia do disco a ser lançado no segundo semestre de 2017.

Mais informações: skrotes.bandcamp.com

 
     

Apicultores Clandestinos (Rio do Sul - SC)

Banda formada em 2007 que conta com 4 integrantes que se dividem entre a apicultura e a musica. Perseguidos pelo Conselho Regional de Apicultura, tocam com suas roupas de apicultor e utilizam codinomes para que suas identidades não saiam da clandestinidade.

São simpatizantes do faça voce mesmo, fazem um som que remete ao garage/surf/punk/psicodelico e testam varios ruidos e improvisos durante as apresentações. Ocasionalmente, dependendo da safra, distribuem pacotes de mel e cachaça de mel durante os shows.

Desde 2007, a banda vem tocando em varias cidades e estados como RS, SC e SP. Tocou em vários festivais como Tshcumistock, Rural Rock, Ufscsctock, Psicodália, River Rock e Morrostock. Também teve o privilégio de dividir o palco com bandas de varias partes do Brasil e também dos Estados Unidos, Alemanha, Uruguai, Argentina e Chile. No Chile, lançaram, em 2011, um cd pela Productora Mutante, que conta com faixas do disco “Parece mas não é”(lançado em 2008) e com uma faixa gravada com os integrantes da banda chilena “La golden Acapulco” durante a passagem deles pelo Brasil no final de 2009. Em outubro de 2012 a banda fez sua primeira turnê internacional, onde tocou em diversas cidades do Chile.

Em 2014 a banda lançou um disco ao vivo. Em Junho de 2015 a banda lançou seu segundo disco de estúdio Chamado Astronauta do Campo que tem 11 musicas inéditas e foi lançado pelo selo Velvet Records de Rio do Sul.

Mais informações: apicultoresclandestinos.bandcamp.com

 
     

Black Dog Brazil (Rio de Janeiro - RJ)

Desde 1995 no circuito musical alternativo a Banda Black Dog Brazil se destaca em aceitar desafios musicais, cada vez mais ousados, no inicio da carreira faziam show com mais de 4 horas de duração sem parar tocando Led Zeppelin e Deep Purple, não satisfeitos resolveram se tornar a primeira banda do mundo a tocar toda a discografia do Led Zeppelin ao vivo, e o fizeram três vezes duas no circuito musical alternativo carioca e uma no Nordeste. Foram aclamados pelo público que passou a ver banda com ainda mais paixão e respeito.

Eleitos pelo Zeppeliano Fan Clube interprete oficial da obra do Led Zeppelin na América latina a banda Black Dog Brazil percorreu grande parte do circuito nacional, tocando o melhor do classic rock de todos os tempos.

Em parceria com o Zeppeliano Fan Clube a Banda Black Dog Brazil promoveu uma série de shows em suas turnês que tinham como objetivo arrecadar donativos para a “Casa Jimmy” (projeto de apoio a menores em rico social) fundada pelo Legendário guitarrista do Led Zeppelin Jimmy Page no Rio de Janeiro, o que os levou a conhecer o grande mestre em uma de suas visitas pelo Brasil, Jimmy Page ao ser informado dos feitos da Banda Black Dog Brazil exclamou “Oh Amazing!!!”

Sempre em busca de mais e mais a Banda Black Dog Brazil lança em 2011 o novo show “THE METAL ROOTS” uma homenagem especial ,que remonta as origens do Heavy Metal em um show
eletrizante com o melhor de LED ZEPPELIN, DEEP PURPLE e BLACK SABBATH!!!!

Mais informações: www.facebook.com/blackdogbrazilband

 
     

Hammerhead Blues (Sao Paulo - SP)

A Hammerhead Blues, fundada no início de 2014 por Luiz Cardim (guitarra), Otavio Cintra (voz e baixo) e Willian Paiva (bateria), é um power trio paulistano de hard rock psicodélico com influências do blues e do rock pesado dos anos setenta.

O conjunto se formou quando após o desligamento de Luiz e Otavio da Electric Age, banda independente de destaque no Monsters Of Rock 2013, a dupla se juntou a Willian, também baterista da Leeds. O primeiro trabalho de estúdio, um EP produzido por Willian, foi gravado no segundo semestre de 2014 no Studio Pub, de Santo André, e recebe o título “Hammerhead Blues”.

Ao longo dos anos de 2015 e 2016 a banda divulgou intensamente o seu trabalho, levando seu som a diversas cidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Minas Gerais, tocando com grandes nomes do cenário nacional e internacional como Mars Red Sky, Radio Moscow, Cattarse, Necro e Muñoz.

Nos últimos meses de 2016 a banda deu início à gravação do seu primeiro full lenght intitulado “Caravan”, um retrato do amadurecimento dos músicos como conjunto ao longo de seus anos na estrada. Trazendo novas influências, o álbum tem previsão de lançamento ainda no primeiro semestre de 2017 em parceria com o selo Abraxas, com o qual a banda vem trabalhando desde seus primeiros shows. O trio vem obtendo destaque com o público em suas apresentações únicas, eletrizantes e repletas de improviso.

Os trabalhos da Hammerhead Blues estão disponíveis na íntegra nas principais plataformas de streaming, tais como Spotify e Deezer, assim como no Youtube e Bandcamp, dentre outros.

Mais informações: www.facebook.com/hammerheadblues

 
     

Confraria da Costa (Curitiba - PR)

A Confraria da Costa produz um som que está longe de qualquer experiência musical habitual.

Misturando blues, folk, jazz e ritmos eruditos e ciganos, a banda explora as rotas do rock acrescentando elementos de estilos e ritmos folclóricos e ousando em suas letras uma reflexão cínica e irônica sobre o homem, a sociedade, o alto mar e os meandros da vida e da morte.

Não se sabe exatamente em qual costa o movimento começou, mas há relatos de
representantes da Confraria em Curitiba, Paraná (apesar da ausência total de costa). O rock pirata vem passando de navio em navio, geração após geração e desde 1572 vem cativando um público carente de artistas com a sensibilidade e o talento para compor canções que são, ao mesmo tempo, sarcásticas e empáticas. Graças aos adventos da tecnologia algumas dessas canções puderam ser passadas para o formato cd com três edições “Confraria da Costa” (2010), “Canções de Assassinato” (2012) e o novíssimo “Motim” (2015).

Fontes confiáveis afirmam que as aparições da caravela estrelar, que transporta os tripulantes da Confraria da Costa, causam desordem e euforia. “Os piratas cometem atos explícitos de desobediência a ordem musical, abusando do rum e da ironia”, afirma um expectador que preferiu não ser identificado.

Mais informações: www.confrariadacosta.com.br

 
     

Ismael Carvalho (Nova Friburgo - RJ)

Ismael Carvalho começou sua carreira no Blues em 1995 na banda friburguense Blues & Cia. Em 1998 passou uma temporada nas cidades de Chicago e Austin nos Estados Unidos para se Inspirar através da música que flui nessas cidades e no final do mesmo ano, já de volta ao Brasil, iniciou uma bem-sucedida carreira solo e no ano seguinte lançou o CD "Sunburst Blues", com 13 músicas, sendo 10 autorais.

No decorrer desse tempo, Ismael Carvalho foi matéria nas revistas Guitar Player e Blues & Jazz, especializada no estilo. Tocou e gravou com grandes nomes do Blues como Celso Blues Boy, Jefferson Goncalves, Big Gilson, Big Joe Manfra, Mojo Society, Beale Street e o gaitista americano Peter Madcat, Otavio Rocha do Blues Etílicos, entre outros e participou de diversos festivais de Blues como 0 Miller Time & Blues, Blues Para Os Nobres, Blues & Jazz Fest, Truta Jazz Festival, Kaiser Festival, Sesc Jazz & Blues Festival, etc.

Um segundo CD foi gravado, mas acabou não sendo lançado comercialmente e o trabalho batizado de "Electric Ride", permanece inédito por enquanto. Após uma pausa na carreira de Blues para se dedicar a outros projetos, o guitarrista retornou com o trabalho de Blues em 2012 e breve estará lançando um novo material e um site próprio onde todo o trabalho estará disponibilizado.

No repertório das apresentações, além de musicas autorais, tocamos material de Stevie Ray Vaughan, Johnny Winter, Allman Brothers, Lynyrd Skynyrd, BB King, Eric Clapton, Joe Cocker, Jimi Hendrix, entre outros.

No ano de 2016 iniciou um trabalho com o baixista Ugo Perrotta, ex- Big Alambik e atual membro da banda Cris Crochemore & The Blues Groovers, além do seu trabalho com a lsmael Carvalho Band com Nicolas Carvalho na segunda guitarra, Marcos Moura no baixo e Jonhy Cabral na bateria.

Mais informações: www.facebook.com/ismael.carvalho

 
     

Centro da Terra (Sao Paulo - SP)

O power trio Centro da Terra é uma banda paulista formada em 2010 pelos irmãos Fred Pala e Guilherme Pala e em 2012 teve o ingresso de Zeca Mustang. Envolvidos na cena underground brasileira já produziram 2 cd´s de forma independente e rodaram mais de 50.000 km pelo país, boa parte desses em sua Kombi “Chibaba”.

 O primeiro disco ficou conhecido como “Ritual Elétrico” (2012) gravado ao vivo durante uma jam em estúdio, mostrando influencias dos integrantes ricas de improviso. Já o segundo leva o nome do festival em que foi gravado “Tarde no Quintal” (2014) transmitindo a energia do trio ao vivo para o público, com apenas composições autorais mostrando uma complexidade criativa e experimentação sonora em um gênero denominado pelos irmãos Pala de "Ritual Elétrico". Já em 2015 e 2016 o trio vem trabalhando com novos projetos como o "Crowdfounding" lançado no começo de 2016 através do Catarse e finalizado em abril com sucesso, possibilitando assim a concretização de seu novo disco, que ja vem sendo gravado e será lançado em março de 2017 nos formatos Lp e Cd, além de um Dvd contendo shows ao vivo do trio e um documentário mostrando a cena brasileira independente de música autoral no Brasil, desde festivais como o Psicodalia até o dia a dia de bandas de todos os cantos do país, de norte à sul, como trabalham e como é possível a existência de bandas e movimentos sem apoio de mídias fortes, tudo isso produzido pela família Centro da Terra de maneira colaborativa e independente.

 O intuito do Centro da Terra e até o significado de Ritual Elétrico sempre foi o de trazer à tona a espiritualidade e elevar o ser à paz e ao amor, através da música e da poesia como forma de meditação ativa, sempre utilizando de improvisos e misturas de ritmos sonoros do mundo inteiro, brasileiros, como bossa nova e baião, norte americanos, como jazz e blues, e até outros estrangeiros como italianos e espanhóis, sempre aliados ao rock'n roll experimental e progressivo.

Além das composições próprias o grupo tem realizado um trabalho de resgate do Rock n Roll setentista nacional mantendo vivo grandes nomes da música brasileira como Som Nosso de Cada Dia, A Bolha, Casa das Máquinas, Perfume Azul do Sol, A Chave, entre outros, com releituras audaciosas e muito improviso.

Em meio a uma viajem pelos timbres, influências e espiritualidade vos apresento o “Ritual Elétrico” do Centro da Terra. 

 

Mais informações: www.facebook.com/centrodaterrapowertrio

 

   

 

 

Voltar

Aldeia Rock Festival - Aldeia Velha